Dicas de saúde: benefícios do gengibre para a saúde

Dicas de saúde: benefícios do gengibre para a saúde

Gengibre, planta medicinal pertencente à família Zinziberacee, é nativa da Ásia Oriental. Desde Hipócrates a Confúcio, até hoje, tem sido usada em muitas culturas do mundo.

Principais nutrientes do gengibre
O gengibre apresenta uma substância chamada gingerol, dotada de propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e antimicrobianas que protegem o nosso organismo. O gingerol é responsável pelo sabor picante do gengibre.

As propriedades terapêuticas do gengibre se devem à ação conjunta de várias substâncias, principalmente encontradas no óleo essencial do gengibre, rico nos componentes medicinais cafeno, felandreno, zingibereno e zingerona.

O gengibre também é rico em substâncias termogênicas que ativam o metabolismo do organismo e podem potencializam a queima de gordura corporal.

A raiz é composta por vitamina B6, assim como pelos minerais potássio, magnésio e cobre, mas tais propriedades se tornam pouco relevantes levando-se em conta o consumo diário da planta. Como se trata de uma especiaria, bastam pequenas quantidades do gengibre no chá ou preparações culinárias para aromatizá-las.

O gengibre é referência quando se fala em problemas estomacais, pois combate enjoo, gases, indigestão, náuseas causadas pelo tratamento do câncer e perda de apetite. Também auxilia na digestão de alimentos gordurosos e protege o fígado. Não é à toa que uma substância presente na raiz do gengibre é usada na fabricação de medicamentos laxantes, antigases e antiácidos.

Veja como consumir o gengibre:
O gengibre pode ser consumido cru, em conserva, como chá de gengibre ou como óleo. Ele ainda é usado em alimentos e bebidas como agente aromatizante.

Chás: a infusão de pedaços frescos de gengibre é utilizada no tratamento de gripes, tosses e até mesmo resfriados. Além de ser um relaxante eficaz, hidrata o corpo e ajuda a eliminar as toxinas, podendo ajudar também no emagrecimento, devido à sua ação termogênica. O preparo consiste em deixar raízes, cascas ou talos de molho por cerca de 30 minutos e, após esse período, acrescentar água e levar o gengibre ao fogo por mais de 30 minutos.

Na culinária: o gengibre pode ser utilizado no preparo de pratos doces e salgados da culinária. Pode ser encontrado desidratado, fresco, em conserva ou cristalizado. Cuide para não substituir uma forma pela outra nas receitas, pois seus sabores são distintos.

Sucos: tem ação anti-inflamatória, favorecendo a eliminação de toxinas do organismo. O suco gera mais disposição para o corpo. Para ficar mais saboroso, bata no liquidificador com abacaxi, hortelã ou raspas da casca do limão.

Pedaços: mastigar as lascas de gengibre, assim como chupar a bala, ajuda a aliviar a rouquidão e irritações na garganta, mas é preciso atenção, pois, elas somente mascaram a dor. O gengibre irá aliviar os sintomas até que o corpo se encarregue de curar a doença ou que seja necessária alguma conduta clínica.

Quais os benefícios do gengibre?
Entenderemos agora com mais detalhes quais os benefícios do gengibre para a saúde e boa forma.

1) O gengibre é um excelente remédio para alergias, gripes e resfriados
O gengibre sempre foi muito usado para o tratamento de gripes e resfriados. Uma colher de chá de suco de gengibre e mel alivia quadros de tosse persistente e dor de garganta. Seu chá é um bom descongestionante para a garganta e o nariz. O gengibre também é usado no tratamento de alergias relacionadas ao trato respiratório devido às suas propriedades anti-histamínicas: ele inibe a contração das vias aéreas e estimula a secreção de muco.

2) O gengibre é um grande aliado para quem quer emagrecer
O gengibre auxilia o sistema digestório, regulando o movimento do bolo alimentar ao longo do estômago e dos intestinos delgado e grosso. O bom funcionamento do trato gastrointestinal é fundamental para a perda de peso.

Além de ser pouco calórico, o gengibre é um alimento termogênico pois aumenta a temperatura corporal e acelera o metabolismo como um todo, o que promove a queima de gorduras e uma maior excreção de toxinas pelo organismo. É considerado também um inibidor natural do apetite já que proporciona uma sensação de saciedade, e, consequentemente, reduz a quantidade de alimento ingerido.

Outro aspecto importante é que o gengibre suprime a produção do hormônio cortisol no organismo. Altos níveis deste hormônio (como em situações de estresse crônico) estimula o acúmulo de gordura na região abdominal e o ganho de peso.

Para auxiliar no processo de emagrecimento é aconselhável ingerir pedaços de gengibre fresco (junto com saladas, por exemplo) e não consumi-lo apenas sob a forma de chá.

3) O gengibre alivia a dor muscular
Uma pesquisa publicada no The Journal of Pain mostrou que o consumo diário de gengibre alivia a dor muscular após a prática de exercícios físicos. O objetivo deste estudo foi examinar os efeitos da suplementação com gengibre tratado termicamente na dor muscular. Foram feitos dois estudos, 1 e 2, e estes foram iguais: duplos-cegos, controlados por placebo, experiências ao acaso, com 34 e 40 voluntários, respectivamente. Os participantes consumiram 2 g de gengibre cru (estudo 1) ou aquecido (estudo 2) ou placebo durante 11 dias consecutivos. Os participantes realizaram 18 ações excêntricas dos flexores do cotovelo para induzir a dor e inflamação nos músculos. Os resultados demonstraram que o consumo diário de gengibre culminou em reduções moderadas a grandes na dor muscular após lesão muscular induzida pelo exercício e que o efeito analgésico não foi superior com o tratamento térmico do gengibre.

Assim, consumir regularmente gengibre pode ser uma forma natural de reduzir aquelas dores musculares desencadeadas pelo treinamento.

4) O gengibre é um ótimo anti-inflamatório
O gengibre vem sendo usado há séculos para amenizar processos inflamatórios. Os gingeróis, principais princípios ativos do rizoma, são potentes anti-inflamatórios. Portadores de artrite reumatoide e osteoartrite relatam uma diminuição dos níveis da dor e uma melhoria da mobilidade com o consumo regular de gengibre.

Um estudo publicado no Journal of Alternative and Complementary Medicine mostrou que o gengibre cessa a produção de compostos pró-inflamatórios produzidos pelos sinoviócitos (células do revestimento sinovial das articulações), condrócitos (células da cartilagem) e leucócitos (células de defesa).

5) O gengibre pode ser usado no combate ao câncer
Uma pesquisa realizada pela universidade do Minnesota sugere que os gingeróis podem inibir o crescimento de células de câncer colorretal em humanos. No estudo, os ratos foram especialmente alimentados e criados para terem um sistema imunológico falho. Em uma parte destes animais foi administrado o composto gingerol-(6) três vezes por semana. Nos ratos do grupo controle não houve administração da substância. Todos os animais receberam injeções de células de câncer colorretal de humanos em seus flancos. Os primeiros tumores apareceram 15 dias após a injeção com células cancerígenas, e apenas 4 tumores foram encontrados no grupo de animais tratados com gingerol-(6) em comparação com os 13 tumores presentes nos ratos do grupo controle. Além disso, os tumores do grupo que foi tratado com o gingerol eram menores. No 38º dia, um rato do grupo que recebeu o gingerol-(6) ainda não tinha tumores mensuráveis. No 49º dia, todos os ratos do grupo controle foram sacrificados uma vez que os seus tumores cresceram 1 cm³ (enquanto que os tumores dos ratos tratados com o gingerol tinham crescido em média 0,5cm³).

Outro estudo mostrou que os mesmos gingeróis matam células de câncer de ovário através da indução da apoptose (morte celular programada) e autofagocitose (autodigestão).

Uma pesquisa feita na Geórgia/EUA relata, por sua vez, que o consumo oral do extrato de gengibre inibe de maneira significativa a progressão do câncer da próstata. O extrato mostrou inibir o ciclo celular além de estimular a apoptose celular tanto nas células em cultura, bem como nos modelos animais de xenoenxerto de tumor da próstata.

6) O gengibre é um remédio para a náuseas e vômitos
Ingerir o gengibre cru ou o seu chá é um excelente remédio para a náusea e vômito. Um estudo mostrou que o consumo de gengibre reduziu significativamente a gravidade e quantidade de vômitos em mulheres no início da gravidez. O seu uso é uma boa alternativa considerando que apenas uma pequena quantidade de gengibre é necessária para que esse efeito seja observado.

Os pacientes com câncer também são beneficiados com este uso por conta das náuseas decorrentes do tratamento quimioterápico.

7) O gengibre pode auxiliar na redução da pressão arterial
O colesterol e as lipoproteínas de baixa densidade podem entupir as artérias e outros vasos sanguíneos do nosso organismo. Estes ‘’bloqueios’’ para o fluxo sanguíneo elevam a pressão arterial. Os ativos presentes no gengibre ajudam a diminuir o nível de colesterol e destas lipoproteínas, promovendo assim uma ação anti-hipertensiva.

Outro ponto importante é que o gengibre ajuda a prevenir o processo de coagulação sanguínea. A ausência de coágulos permite um fluxo sanguíneo normal, evitando desta forma a elevação da pressão arterial, a ocorrência de ataques cardíacos e de acidente vascular cerebral.

8) O gengibre ajuda a controlar o diabetes
Primeiramente o gengibre é um alimento de baixo índice glicêmico, isto é, seu consumo não provoca o aumento dos níveis de glicose do sangue.

Pesquisadores da Universidade de Sidney descobriram que o gingerol, principal ativo do rizoma, pode aumentar a captação de glicose pelas células musculares sem necessitar da presença de insulina.

Em outro estudo publicado no “European Journal of Pharmacology” os pesquisadores investigaram como extratos de gengibre interagem com os receptores de serotonina – para tentar compreender seu efeito sobre a secreção de insulina. Eles descobriram que dois extratos diferentes reduziram a glicose no sangue em cerca de 35% e aumentaram os níveis de insulina no plasma em aproximadamente 10%.

Uma complicação muito comum associada ao diabetes, a catarata, pode ser contida pelo uso do gengibre. Um estudo revelou que o consumo diário de gengibre retardou o aparecimento e a progressão dessa doença em ratos diabéticos.

9) O gengibre também tem ação antimicrobiana
A bactéria Helicobacter pylori é considerada o principal agente etiológico de doenças como dispepsia, úlcera péptica e câncer gástrico e de cólon. Uma pesquisa publicada no National Institutes oh Health revelou que o extrato de gengibre (os gingeróis) inibe o crescimento desta bactéria in vitro. Ou seja, o estudo indica que o consumo de gengibre é importante para a prevenção destas enfermidades.

Uma outra pesquisa revelou a atividade antimicrobiana do extrato alcoólico de gengibre frente a três bactérias anaeróbias eram negativas associadas com a periodontite na cavidade oral humana: Porphyromonas gingivalis, Porphyromonas endodontalis e Prevotella intermedia. O estudo ainda conclui quais os ativos do gengibre foram os responsáveis por esta atividade: [10]-gingerol e [12]-gingerol. O gengibre pode assim, também auxiliar no combate a diversos tipos de infecções.

Cuidados
Apesar de todos os benefícios do gengibre citados, não é pelo fato de ele ser um produto natural que seu consumo não apresenta riscos. Veremos agora em quais casos o seu consumo deve ser evitado.

Pessoas que fazem o uso de medicamentos para controlar o diabetes e/ou a hipertensão arterial devem conversar com seu médico antes de passarem a consumi-lo. O uso concomitante do gengibre com as medicações pode provocar uma queda significativa da pressão arterial e/ou um quadro de hipoglicemia, respectivamente.
Pacientes com distúrbios hemorrágicos não podem consumir gengibre devido ao alto risco de hemorragia por reduzir a taxa de coagulação sanguínea.
Mulheres grávidas e lactantes também devem conversar com seus médicos antes de usarem o gengibre.
Pacientes com distúrbios biliares ou que serão submetidos a cirurgias (serão anestesiados) também devem informar o seu médico antes de usar o rizoma.
Os efeitos colaterais do gengibre são raros. Em doses muito altas, a pessoa pode apresentar uma leve azia, diarreia e irritação na boca.

Fonte: minhavida / mundoboaforma   Foto: naturalcura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *